Você está aqui

Escola Sesi de Ensino Médio está com as matrículas abertas

A pioneira instituição de Ensino Médio do Sesi-RS está com as inscrições abertas para o primeiro ano. A proposta da Escola Eraldo Giacobe, de Pelotas, é ser referência na educação para o mundo do trabalho, com excelência acadêmica. Serão no máximo 150 alunos. Haverá o desenvolvimento integral do estudante, com destaque para a construção de competências e habilidades para o mercado profissional, além de uma avaliação desafiadora e motivadora. 
 
A escola atingiu alguns resultados significativos, tais como projetos premiados no Salão Jovem da Ufrgs e no 1° Torneio de Robótica, obtendo destaques na categoria core values. Além de atividades de cunho científico, os jovens visitaram empresas para entender melhor a dinâmica do mundo do trabalho, aprenderam sobre educação financeira e participaram de palestras com empresários. Também assistiram peças de teatro sobre o momento de vida do adolescente e realizaram passeios para conhecer o patrimônio cultural da cidade. “A Escola propõem atividades junto às indústrias e universidades, pois são nestes espaços que encontramos experiências que permitem a reflexão e problematização sobre o dia-a-dia”, lembra o diretor-superintendente do Sesi-RS, Edison Lisboa. “Com isto, aguçamos a curiosidade e o espírito crítico e empreendedor na busca de melhores soluções para os desafios com que nos deparamos no mundo do trabalho”.
 
Com turno estendido (serão aproximadamente 5 mil horas de estudo), os alunos têm uma matriz curricular dividida da seguinte forma: 30% Código e Linguagens (português, literatura, línguas estrangeiras, artes, educação física), 50% Matemática e Ciências Naturais (química, física e biologia) e 20% Ciências Humanas (história, geografia, sociologia e filosofia).  “A proposta é desenvolver o raciocínio matemático e domínio da língua portuguesa, competências básicas para qualquer profissão, e os conhecimentos sobre ciências naturais, demandas observadas na sociedade em geral e principalmente na indústria”, explica Lisboa. O ensino se dá por projetos de pesquisa ativa e oficinas, estimulando o desenvolvimento, a capacitação, experimentação, visitas técnicas e encaminhamento para escolhas profissionais (com base também na vocação do aluno).
 
A avaliação conta ainda com alguns pontos inéditos. Os professores passaram por uma capacitação especial para aprimorar as habilidades cognitivas. A escola acompanhará a evolução da aprendizagem do aluno continuamente. Para isto, além do professor da disciplina e do orientador educacional, há um professor coaching que orienta o estudante na sua trajetória escolar e descoberta vocacional, oferecendo oportunidades de aprendizagem e aprofundamento de conhecimentos independente do aproveitamento que o mesmo demonstre. A intenção é que os alunos cresçam, a partir de estudos de recuperação, atividades de apoio ou desafios, conforme o ritmo de cada um. “O projeto traz uma ideia de desenvolvimento para todos, alunos, professores e a comunidade. Esses jovens estarão prontos para a vida e para o mundo do trabalho ao terminar o Ensino Médio”, concluiu Lisboa.
Tags: 

Veja mais

FIERGS 6/12/2016 às 14h37
A atual capacidade ociosa nas linhas de produção, os baixos níveis de estoque e a força exportadora colocam o setor industrial em uma posição decisiva...
Saiba mais
FIERGS 5/12/2016 às 17h02
Qualificar as exportações de carnes do Rio Grande do Sul e agilizar os processos de Comércio Exterior são ações constantes nas atividades dos conselhos...
Saiba mais
FIERGS 1/12/2016 às 18h39
O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, anunciou, nesta quinta-feira, o nome do sucessor para a...
Saiba mais