Você está aqui

Diferente do que se pode pensar, ter saúde mental não significa estar feliz o tempo todo, não ter problemas ou viver sem transtornos mentais como ansiedade e depressão. A saúde mental, na verdade, implica em conseguir lidar com as emoções mesmo frente a situações difíceis e em saber buscar ajuda quando necessário.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, saúde mental é um estado de bem-estar em que a pessoa consegue utilizar as suas habilidades para lidar com as tensões normais da vida, trabalhar, realizar suas atividades e contribuir para a comunidade. Em outras palavras, a saúde mental está relacionada à maneira como a pessoa lida com as diferentes situações da vida e, portanto, é parte integrante da saúde: não há saúde sem saúde mental.

Que fatores influenciam a saúde mental?

Antes de abordar os fatores que podem influenciar a saúde mental, é preciso entender que transtornos mentais e comportamentais podem acometer pessoas de diferentes gêneros, idades e condições sociais. E, por mais que o assunto ainda seja um tabu, é muito importante falar sobre, conhecer os sinais de alerta e buscar ou oferecer ajuda quando necessário, além de buscar orientação médica e psicológica.

Dito isso, sabe-se que a saúde mental é uma construção complexa, determinada por uma série de aspectos. Entre eles, estão fatores culturais, sociais e ambientais, condições socioeconômicas, educação, experiências de vida, estilo de vida (hábitos de alimentação e de atividade física, por exemplo), fatores individuais (como fator genético e personalidade) e, também, o ambiente de trabalho. É sobre este último aspecto que vamos nos aprofundar a seguir.

A saúde mental no trabalho

Como vimos, o ambiente de trabalho é um dos aspectos que interferem na saúde mental do indivíduo — afinal, é no trabalho que as pessoas passam a maior parte do seu tempo. 

Sendo assim, as características do trabalho podem ser fatores de proteção, quando aumentam o bem-estar e a saúde mental, ou fatores de risco, quando trazem algum prejuízo à saúde mental. Neste contexto, é comum que um mesmo ambiente apresente características tanto positivas quanto negativas, ou seja, fatores de proteção e fatores de risco psicossocial. 

A relação entre os dois tipos de fatores é direta, ou seja: os fatores de proteção podem atenuar as consequências dos fatores de risco à saúde dos trabalhadores. Entretanto, um fator de risco também pode se sobressair e causar prejuízos à saúde mental.

Confira alguns exemplos de fatores de proteção e de risco psicossocial:

  • Relacionamento com os colegas: Pode ser um fator de proteção quando os colegas colaboram e confiam uns nos outros, contribuindo para um ambiente saudável de trabalho. Por outro lado, se o trabalhador não tem em quem confiar, sente-se isolado da equipe ou sofre algum tipo de preconceito ou exclusão, o relacionamento com os colegas pode se tornar um fator de risco à saúde mental.
  • Relacionamento com a liderança: Quando o líder é presente, justo, dá feedbacks e orientações sobre o trabalho, ele é um fator de proteção à saúde mental dos trabalhadores. Do contrário, pode representar um risco.
  • Condição de trabalho: Ter equipamentos e materiais adequados e atuar em um ritmo de trabalho compatível com as capacidades do trabalhador podemos dizer que são condições que ajudam a proteger a saúde mental. Quando estas condições extrapolam os limites e geram estresse, por exemplo, pode significar um risco.
  • Propósito: O sentido que o trabalhador dá ao trabalho que desenvolve também interfere na saúde mental. Quando o trabalho está alinhado ao seu propósito de vida, ele é um fator de proteção. Do contrário, o trabalhador pode se sentir triste, frustrado e desanimado ao trabalhar, o que pode ser um fator de risco à saúde mental.
  • Desenvolvimento profissional: Significa o aprendizado que o trabalho proporciona, o desenvolvimento cotidiano, o estímulo à criatividade e à troca de experiências. Quando existe essa possibilidade, temos um fator de proteção para a saúde mental. Entretanto, quando há estagnação, ausência de aprendizado e de possibilidades de crescimento, podemos ter um fator de risco.

É importante ressaltar que estes exemplos de fatores de proteção e de risco para a saúde mental do trabalhador, quando isolados, não são suficientes para causar risco ou proteção para a saúde mental. Como falamos anteriormente, existem múltiplos fatores que determinam a saúde mental de um indivíduo, e sempre existirá a interação dos fatores que ocorrem no trabalho com outros fatores (como biológicos, de estilo de vida, condições sociais e familiares, etc.).

Sabendo disso, o papel da empresa vai no sentido de minimizar os fatores de risco, que podem levar a complicações, e potencializar os fatores de proteção para que o ambiente de trabalho favoreça a saúde mental das pessoas como um todo. Lembrando que os líderes também são trabalhadores e podem fortalecer a sua saúde mental e de suas equipes. A seguir, vamos apresentar dados importantes que comprovam a importância da saúde mental no trabalho.

O impacto da saúde mental no trabalho

Você sabia que, no Brasil, os transtornos mentais são a 3ª principal causa de afastamentos do trabalho? A condição se estende a nível mundial: segundo a OMS, mais de 320 milhões de pessoas convivem com a depressão no mundo e, em 2020, 285 mil pessoas se afastaram de seus empregos por conta de doenças mentais.

O resultado na economia mundial não pode ser ignorado: por ano, se perde 1 trilhão de dólares em produtividade por conta dos transtornos mentais. E, já que estamos falando em valores, a Organização Mundial da Saúde já divulgou que cada real de investimento no tratamento para depressão e ansiedade no trabalho resulta em 4 reais de retorno por conta da melhor saúde e consequente melhor desempenho.

Este retorno é consequência da melhoria no bem-estar e na saúde integral do indivíduo, que resulta em mais motivação e produtividade. Além disso, cultivar a saúde mental favorece o enfrentamento dos desafios da vida e do trabalho com mais naturalidade, uma vez que favorece os relacionamentos interpessoais e promove mais felicidade e satisfação.

Para a empresa, além do retorno do investimento, os benefícios são muitos:

  • Melhora o clima organizacional
  • Reduz os níveis de absenteísmo e turnover
  • Aumenta a produtividade
  • Melhora a retenção de talentos
  • Melhora a vantagem competitiva da empresa
  • Diminui as falhas na execução do trabalho
  • Melhora a qualidade das entregas
  • Propicia a sustentabilidade do negócio a longo prazo

Agora que você já compreendeu o que determina a saúde mental e qual a importância deste fator no ambiente de trabalho, é hora de descobrir como criar um ambiente que favoreça a saúde mental da equipe.

Como promover a saúde mental no trabalho?

Criar um ambiente saudável é um trabalho em equipe que traz resultados para todos. O cuidado de si e do próximo é capaz de promover o bem-estar e um ambiente de trabalho mais saudável. Para auxiliar na promoção da saúde mental no trabalho, separamos alguns exemplos de ações que podem ser implementadas dentro e fora do ambiente de trabalho. Confira:

  • Promover hábitos saudáveis, como uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos
  • Valorizar as relações interpessoais, tornando o clima mais saudável e positivo
  • Investir no desenvolvimento de pessoas, apostando no aprendizado contínuo 
  • Usar as tecnologias para facilitar o trabalho, a comunicação e a aprendizagem 
  • Organizar o espaço de trabalho, a gestão do tempo e estabelecer uma rotina 
  • Desenvolver treinamentos para as lideranças
  • Oferecer aos trabalhadores um canal de comunicação aberto e seguro
  • Promover eventos sobre saúde mental
  • Viabilizar atividades que proporcionem bem-estar aos trabalhadores
  • Garantir uma comunicação interna de qualidade
  • Estimular a empatia no ambiente de trabalho
  • Dar feedbacks e promover o reconhecimento
  • Criar uma cultura de respeito à diversidade
  • Prestar assistência aos funcionários
quarta-feira, 14 de Julho de 2021 - 11h11

Deixe um Comentário

12 + 3 =