Você está aqui

Conforme a pandemia de Covid-19 avança, a comunidade médica vai descobrindo cada vez mais sobre a doença. E uma descoberta que vem intrigando pesquisadores e pacientes tem a ver com a Síndrome Pós-Covid, Covid longa ou Covid persistente. Trata-se do aparecimento ou da persistência de sintomas após a infecção, em pessoas que foram consideradas curadas.

Diferente do que se pode pensar, a Síndrome Pós-Covid não é observada somente em pacientes que apresentaram um quadro grave da doença. Segundo os médicos, ela não é observada em todos os casos, mas pode acontecer em qualquer caso, inclusive naqueles mais leves ou assintomáticos.

Nos poucos estudos já desenvolvidos sobre o assunto, foi constatado que até 80% dos recuperados da Covid-19 sentem pelo menos um sintoma até quatro meses depois do fim da infecção. E, uma vez que as sequelas observadas podem afetar a qualidade de vida e a produtividade das pessoas, este dado não pode ser ignorado pelas empresas.

Quais os sintomas observados na Síndrome Pós-Covid?

Enquanto a Covid-19 apresenta um ciclo que, geralmente, dura duas semanas, as sequelas podem acompanhar o paciente por meses. Desta forma, pessoas que se livraram do vírus propriamente dito são obrigadas a conviver com os mais diversos sintomas por muito tempo depois do que pensaram que seria a “cura” definitiva.

Os sintomas identificados vão desde dores de cabeça até confusão mental e perda de memória recente. Confira, abaixo, as reclamações mais frequentes das pessoas que sofrem da “Covid longa”, muito semelhantes aos sintomas da própria doença:

  • cansaço excessivo
  • dores musculares e nas articulações
  • tosse
  • sensação de falta de ar
  • perda ou alteração no olfato e no paladar
  • zumbido
  • tontura
  • dor de cabeça
  • dificuldades de linguagem, raciocínio e memória
  • palpitações
  • ansiedade e depressão
  • insônia
  • problemas digestivos
  • náuseas e vômitos
  • tromboses

Enquanto a Covid-19, por ser altamente contagiosa, exige o afastamento do trabalho e o isolamento social, as sequelas muitas vezes são motivo de atestado por conta de seu efeito incapacitante nos pacientes. Os transtornos físicos e mentais característicos da Síndrome Pós-Covid, portanto, não são preocupações exclusivas do paciente, mas também de seus empregadores.

Além de reforçar a importância da prevenção e da vacinação contra a Covid-19, o reconhecimento da gravidade das sequelas possíveis nos obriga a pensar em possíveis soluções. Como tratar as sequelas? Quando é preciso buscar ajuda?

Como proceder quando os incômodos persistem?

Por ser uma doença relativamente nova, médicos e pesquisadores ainda estão pesquisando e aprendendo sobre a Covid-19. Sendo assim, pode não ser muito claro quando é preciso se preocupar com a questão das sequelas e quando os incômodos fazem parte de uma recuperação esperada.

A verdade é que ainda não existe um tratamento definitivo para a Síndrome Pós-Covid. Sendo assim, o indicado é que aconteça um processo de reabilitação do paciente com um acompanhamento multidisciplinar.

Para saber quando é preciso buscar ajuda, os médicos ressaltam que o importante é manter-se atento e ter em mente que não é normal não estar bem. Enquanto os cientistas seguem investigando se há sequelas permanentes, a maior parte dos quadros pode ser revertida com o acompanhamento adequado.

A recomendação, portanto, é visitar o profissional especializado na queixa específica. Se o sintoma estiver relacionado, por exemplo, com a capacidade motora, deve-se procurar um fisioterapeuta. Se a queixa envolver fatores psíquicos, é o psicólogo que deve ser consultado. Nutricionistas, assistentes sociais, fonoaudiólogos e profissionais de educação física também são profissionais importantes neste momento para avaliar se o problema é, de fato, uma sequela ou uma questão isolada — que também merece, por sua vez, o tratamento adequado.

Pensando no cuidado e na importância de uma recuperação completa, o SESI/RS desenvolveu um serviço de atendimento para reabilitação das sequelas consequentes da Covid-19. O serviço pode ser solicitado tanto por pessoa física quanto por pessoa jurídica e conta com uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde para realizar um acompanhamento completo do trabalhador que apresenta sintomas da Síndrome Pós-Covid.

quarta-feira, 9 de Junho de 2021 - 11h11

Deixe um Comentário

5 + 3 =