Você está aqui

Você já parou para pensar que passa mais horas da sua vida no ambiente de trabalho do que em casa ou em outros lugares, e que isso pode influenciar o modo como percebe o mundo e o seu trabalho?  

Já considerou que, nesse contexto, problemas pessoais, emoções e sentimentos podem afetar sua interação com seus colegas de trabalho e o desempenho de suas tarefas?  

A comunicação é fundamental para estabelecer relacionamentos saudáveis e pode envolver expressar seus sentimentos e necessidades, ouvir e validar as perspectivas dos outros e trabalhar juntos para resolver conflitos.Nesse sentido, o estímulo à comunicação assertiva e não violenta pode fomentar um ambiente propício para a interação saudável e a empatia, desencadeando melhores resultados pessoais e profissionais. 


O mundo do trabalho e a vida pessoal: 

Com o surgimento de novos modelos de trabalho ao longo dos anos, tem sido cada vez mais difícil separar nossa vida pessoal da vida profissional. Ao nos relacionarmos com colegas, parceiros de negócios e familiares, muitas vezes essas relações se misturam independente da nossa vontade. Tendo em vista que nosso discursos, crenças, habilidades e competências são oriundas de nossas ligações familiares, educacionais, espirituais e nossa matriz cultural em geral, essas experiências nos acompanham não somente no âmbito familiar e nas relações de amizades como também no nosso ambiente de trabalho.  

Nesse sentido, as relações de trabalho nada mais são do que a soma de atitudes, experiências e comportamentos individuais.  Como a maneira como nos relacionamos está vinculada às conexões inter e intrapessoal de cada um, o autoconhecimento, ou à falta dele, e as diferentes maneiras de enxergarmos o outro podem delimitar ou expandir nossa interação no ambiente de trabalho.  

Por essa razão, muitas vezes não compreendemos o quão difícil é uma tarefa para um colega ou por que ele se sente desanimado, estressado ou desatento. Essa falta de compreensão deixa ruídos indesejáveis no âmbito organizacional, amplia as relações não saudáveis e promove a falta de empatia, dificultando o crescimento profissional e organizacional. 


Assertividade e desenvolvimento profissional: 

A palavra assertividade origina-se do latim assertus, que significa afirmar (HOUAISS, 2021). Trata-se da capacidade que o sujeito tem de afirmar o que pensa e sente de uma forma direta e objetiva, mas sem desrespeitar as necessidades e os pensamentos dos outros. O profissional assertivo desempenha com maior clareza e concisão suas ideias, desenvolve a empatia e a observação não só por si próprio, mas pelo outro.  

A comunicação não violenta, por sua vez, é uma estratégia de controle de atitudes e ações que deriva de uma comunicação assertiva. Tem como objetivo o foco na resolução de conflitos a partir da prática de uma linguagem mais efetiva, sem julgamentos.  

Promover uma comunicação assertiva e não violenta no ambiente de trabalho é um desafio constante, uma vez que cada um de nós pensa e age de forma diferente. Entretanto, o desenvolvimento dessa conduta estimula o conflito saudável de ideias, a diversidade, o respeito a emoções e sentimentos e o trabalho em equipe. 


Como desenvolver a comunicação assertiva e não violenta no ambiente de trabalho?  

No campo da psicologia, a assertividade é um modo de comunicação e uma habilidade para ser aprendida e colocada em prática. Dentro de uma empresa, a cultura de diálogo, a experiência de troca de conhecimentos e a transparência na comunicação são exemplos consistentes de comunicação assertiva.  

Desenvolver a comunicação assertiva e não violenta no ambiente de trabalho requer prática e disposição para aprender com os erros. Além disso, é preciso ter em mente que cada situação é única e requer uma abordagem adequada ao contexto. 

A peça-chave da comunicação assertiva está na escuta empática, ou seja, na compreensão, sem barreiras e obstáculos, do diálogo entre o emissor (aquele que envia a mensagem) e o receptor (aquele que recebe a mensagem).  A comunicação assertiva e não violenta é uma forma de se expressar de maneira clara, respeitosa e empática, sem agredir ou desvalorizar o outro. Ela é essencial para o bom relacionamento e a produtividade no ambiente de trabalho, pois evita conflitos, mal-entendidos e estresse.

Você já parou para pensar em aprender técnicas que estimulem habilidades relacionadas ao desenvolvimento de uma comunicação assertiva e não violenta? Já considerou os impactos que tais aprendizagens poderiam gerar na sua vida profissional e pessoal?  

Para desenvolver essa habilidade, é preciso seguir alguns passos:

  • Ter compreensão do que se fala: antes de se comunicar com alguém, certifique-se de que você entendeu bem o assunto e o objetivo da conversa. Se tiver dúvidas, pergunte ou peça para o outro repetir ou esclarecer algum ponto.
  • Observar os fatos sem julgar ou interpretar. Por exemplo, em vez de dizer "você é irresponsável e atrasado", dizer "você chegou 15 minutos depois do horário combinado".
  • Identificar e expressar os sentimentos e as necessidades por trás dos fatos. Por exemplo, em vez de dizer "você me irrita com essa atitude", dizer "eu me sinto frustrado quando você não cumpre os prazos, porque eu preciso do seu trabalho para fazer o meu".
  • Fazer pedidos concretos e positivos, que possam ser atendidos pelo outro. Por exemplo, em vez de dizer "não faça mais isso", dizer "da próxima vez, por favor, me avise com antecedência se você não puder entregar o relatório no dia combinado".
  • Ouvir com atenção e empatia o que o outro tem a dizer, sem interromper ou criticar. Por exemplo, em vez de dizer "isso não é desculpa", dizer "eu entendo que você teve um problema pessoal e que isso afetou o seu trabalho".
  • Validar os sentimentos e as necessidades do outro, reconhecendo o seu ponto de vista. Por exemplo, em vez de dizer "você está exagerando", dizer "eu sei que você se sente sobrecarregado com tantas demandas e que precisa de mais apoio".
  • Negociar soluções que sejam satisfatórias para ambos os lados, buscando um equilíbrio entre as expectativas e as possibilidades. Por exemplo, em vez de dizer "você tem que fazer isso do meu jeito", dizer "vamos encontrar uma forma de fazer isso que funcione para nós dois".

A comunicação assertiva e não violenta requer prática e disposição para mudar hábitos de comunicação que podem ser prejudiciais. No entanto, os benefícios são enormes: mais confiança, respeito, cooperação e harmonia no ambiente de trabalho.


O SESI/RS convida você a conhecer o curso Comunicação Assertiva e Não-Violenta, que aprofundará essas discussões para estimular o desenvolvimento de profissionais mais empáticos e colaborativos. 
sexta-feira, 22 de Abril de 2022 - 13h13

Comentários

Muito bom o assunto, vai mudar completamente o dia a dia profissional e pessoal.

Deixe um Comentário

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
3 + 12 =

Precisando de ajuda?

Por onde prefere falar conosco?

Whats

Chat