Você está aqui

Você já se sentiu ou percebeu alguém estressado no trabalho?  Por que você teve essa percepção? Que impactos físicos e psicológicos você notou? O que será que provocou esses sintomas?  

Há muitos fatores que podem impactar negativamente a saúde do trabalhador no contexto de trabalho, gerando estresse, ansiedade ou até mesmo depressão. Para prevenir estas doenças, é preciso pensar em estratégias de promoção à saúde e ao bem-estar dos trabalhadores não apenas na vida profissional, mas, também, na vida pessoal. 

Dois aspectos importantes são a autopercepção e o autocuidado. Um trabalhador consciente sobre a importância de desenvolver hábitos saudáveis no dia a dia e que busca o equilíbrio entre demandas pessoais e profissionais certamente terá mais chances de lidar com as questões inerentes ao trabalho de maneira mais saudável e produtiva. 

O PAPEL DO CONTEXTO

O contexto igualmente influencia sentimentos, emoções e comportamentos das pessoas, assim como os resultados das organizações. Um exemplo é a pandemia de COVID-19. O contexto pandêmico trouxe inúmeros desafios para os trabalhadores, impactando na mudança de métodos e rotinas de trabalho. Experiências como o home office, a gestão a distância, a intensificação da comunicação virtual e a adaptação aos protocolos de saúde no trabalho geraram sentimentos de insegurança e desconforto, mas também oportunizaram novas aprendizagens e perspectivas.  

Assim como um atleta se prepara para as Olimpíadas, treinando corpo e mente diariamente, um trabalhador também precisa aprender a se desenvolver continuamente, percebendo aspectos que impactam em sua saúde e buscando alternativas para seu fortalecimento, equilíbrio e bem-estar. 

As características do trabalho e as relações com colegas, superiores ou subordinados também são fatores capazes de influenciar desempenho e saúde dos trabalhadores. Essa influência pode ser positiva, se conduzida de maneira adequada. Nesse sentido, fica a reflexão: o que estou fazendo para contribuir para um ambiente de trabalho amistoso? Faço contribuições agregadoras para a equipe de trabalho? Tenho uma perspectiva otimista e com foco em soluções, diante dos problemas? Procuro exercitar empatia e cultivar o espírito de equipe? Que heranças estou deixando para o meu ambiente de trabalho e para a empresa? Ter a consciência de que as suas atitudes colaboram para a qualidade de vida no trabalho é o primeiro passo! 

FATORES ESTRATÉGICOS DE PREVENÇÃO 

Há muitas estratégias que trabalhadores, lideranças e organizações podem adotar no sentido de prevenir riscos psicossociais no trabalho. Primeiramente, se faz importante entender o que são estes fatores, suas consequências, impactos no bem-estar e na qualidade de vida. Assim, munidos de informações, esses profissionais poderão estabelecer estratégias, alinhando a promoção da saúde, gestão e realização de novas ações com o objetivo de diminuir os fatores de risco e promover fatores de proteção psicossocial no trabalho.  

Habilidades como inteligência emocional, a flexibilidade cognitiva, a empatia e a abertura para mudanças são potenciais fatores de transformação das relações e do ambiente laboral que podem ser desenvolvidos entre as equipes. Por isso, a educação continuada é um recurso importantíssimo para promover o autoconhecimento e a capacitação, contribuindo para a diminuição dos fatores psicossociais de risco, ajudando a criar ambientes de trabalho e relações interpessoais mais saudáveis, gratificantes e produtivas.  

E você? Está preparado para essa mudança? Quer explorar e aprender mais sobre esse tema? O desafio está lançado. Por mais vidas felizes no trabalho! 

OPORTUNIDADES  

Para te auxiliar a refletir sobre a importância dos fatores psicossociais no trabalho, o SESI/RS lançou recentemente dois cursos que abordam aspectos relacionados a saúde mental: Emociona Mente: reconheça suas emoções e Coma bem para se sentir bem. Acesse os links e conheça mais sobre os cursos.  

Bons estudos! 

quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 - 17h17

Deixe um Comentário

5 + 8 =