Você está aqui

A inclusão da síndrome de burnout na nova Classificação Internacional de Doenças (CID-11) vem despertando interesse e muitas dúvidas. De acordo com a CID-11, burnout é uma síndrome conceituada como resultado do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso. Ela é caracterizada por três dimensões:

  1. sentimentos de esgotamento energético ou exaustão;
  2. aumento da distância mental do trabalho ou sentimentos de negativismo ou cinismo relacionados ao seu trabalho;
  3. uma sensação de ineficácia e falta de realização.

Tecnicamente é considerada uma síndrome e não uma doença, porque as causas são variadas e nem sempre ocorre da mesma forma para todas as pessoas. A Organização Mundial da Saúde destaca que a síndrome “refere-se especificamente a fenômenos no contexto ocupacional e não deve ser aplicada para descrever experiências em outras áreas da vida”.

Frente a alguns dados como o da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR) que estimam que cerca de 30% dos profissionais brasileiros, média de 32 milhões de trabalhadores, sofrem com a síndrome de burnout, e frente ao que se tem consolidado sobre os chamados fatores psicossociais no ambiente laboral, é primordial reconhecer e fazer a gestão dos fatores a fim de buscar o caminho da prevenção.

BURNOUT, LIDERANÇA E OS FATORES PSICOSSOCIAIS

Os fatores psicossociais são as interações entre o meio ambiente e as condições de trabalho, e refletem diretamente na saúde integral do indivíduo. Entre os fatores de proteção psicossocial estão os relacionados aos eventos, situações ou pessoas que propiciam apoio e fortalecimento ao trabalhador. Alguns deles são: a cooperação entre colegas, a comunicação clara e a chamada liderança positiva.  

Sobre a liderança positiva ou liderança como fator de proteção, sensibilizar e desenvolver o profissional que atua como líder é de extrema relevância e integra o eixo principal de um conjunto de ações voltadas para a prevenção, pois exercer e influenciar bons relacionamentos no ambiente de trabalho é fundamental para um clima de trabalho positivo e saudável.  

Sendo o líder a pessoa mais próxima do trabalhador é de extrema importância que ele esteja atento e preparado para identificar alguns riscos psicossociais (como falta de clareza e apoio nas funções por exemplo), fazer a abordagem adequada, amparar em casos mais críticos e apoiar na prevenção de situações para que não se tornem problemas maiores no futuro.

COMO O SESI ATUA E PODE AJUDAR? 

A equipe de especialistas em Saúde Mental do SESIRS desenvolveu uma formação para líderes que desejam aprimorar suas habilidades e competências comportamentais, e criar ambientes mais saudáveis de trabalho.

Também está promovendo uma formação para pessoas que sejam de referência em áreas estratégicas para lidar e prevenir situações de crises psicológicas, emocionais e sociais, uma vez que nem sempre as empresas dispõem de profissionais especializados para atender essas demandas. 

SESI TRAZ ESPECIALISTAS PARA FALAR DE SAÚDE NO TRABALHO

Promovido pelo Serviço Social da Indústria do RS, o Sesi Conecta Saúde é o maior evento sobre as novidades do mercado e da legislação, apresentando formas de promover ambientes de trabalho saudáveis em cenários de constantes mudanças. Online e gratuito, o objetivo do evento é preparar empresas para a gestão adequada e avançada da saúde no trabalho. 

Parte do sucesso do SESI Conecta Saúde, a série de lives Conecta Talks convida especialistas renomados ao longo do período que antecede e sucede o evento, reforçando e ampliando reflexões sobre temáticas fundamentais para a área de saúde no trabalho. 

A primeira live da série tratou do burnout, e trouxe o Dr. Marcos Henrique Mendanha, médico do Trabalho, especialista em Medicina Legal e Perícias Médicas para ampliar as discussões sobre o tema.  

Não perca! Confira! 

quarta-feira, 18 de Maio de 2022 - 11h11

Deixe um Comentário

1 + 1 =

Precisando de ajuda?

Por onde prefere falar conosco?

Whats

Chat