Você está aqui

Meeting do Sesi vai debater gestão de saúde nas empresas

Um dos principais benefícios oferecidos pelas empresas a seus empregados é o plano de saúde, que representa 13,1% em média da folha de pagamento da indústria brasileira. A informação consta em um levantamento recente do Serviço Social da Indústria (Sesi), para verificar a realidade e os desafios enfrentados pelo setor com a sustentabilidade do sistema de saúde suplementar. Ainda segundo a pesquisa, 75% das grandes e médias indústrias entrevistadas oferecem o benefício aos seus funcionários e 70% dos 37 milhões de brasileiros cobertos por convênios coletivos têm o benefício custeado por empresas industriais.

Nos últimos anos, muito mais do que oferecer plano de saúde, empresas vêm investindo em gestão integrada em saúde, com políticas que envolvam atenção primária, promoção e prevenção, segurança no trabalho, entre outras. Conforme a pesquisa, 56% das empresas ouvidas que oferecem planos, já realizou essa integração. Para se ter uma ideia prática dos resultados que esse movimento pode trazer, a indústria Procter & Gamble, que conta com 3,5 mil empregados no Brasil, iniciou um processo nesse sentido em 2012. Daquela época até agora, o número de funcionários afastados por questões de saúde reduziu em 70% e o índice de sinistralidade do plano ficou abaixo de 70% – antes, ultrapassava os 100%. Entre as mudanças adotadas está o treinamento da equipe da empresa, que realiza a atenção primária. Além disso, os programas de promoção de saúde passaram a ser focados nos principais riscos que, antes, foram mapeados entre os trabalhadores.

Com o objetivo de promover reflexões, apresentar orientações para uma melhor gestão nessa área e exemplos práticos de soluções, o Sesi do Rio Grande do Sul promove seis edições do Meeting Sesi Saúde nas cidades de Santa Cruz do Sul (7/10), Erechim (8/10), Lajeado (15/10), Canoas (15/10), Novo Hamburgo (16/10) e Bento Gonçalves (16/10). O evento gratuito é destinado a indústrias de todos os portes e tratará o cenário atual da saúde no Brasil, envolvendo saúde pública e suplementar, os impactos financeiros relacionados às mudanças demográficas, epidemiológicas e novas tecnologias.

Mais informações e a programação completa podem ser acessadas aqui.

Publicado sexta-feira, 4 de Outubro de 2019 - 17h17