Você está aqui

Comer bem gera uma série de benefícios. Além de levar energia para o corpo, fazendo com que as pessoas se sintam mais dispostas para as atividades do dia a dia, a boa alimentação também pode fortalecer o sistema imunológico, protegendo o organismo de doenças.

Tendo em vista a importância da alimentação — aliada à prática de atividades físicas — para a saúde integral, fica claro por que as empresas precisam observar os hábitos alimentares dos trabalhadores. Afinal, um bom estado de saúde e uma imunidade forte são fatores que interferem diretamente no desempenho de atividades laborais.

A questão é lógica: quanto mais saudável o funcionário estiver, menor será sua predisposição a doenças. Isto reduz os afastamentos, minimiza os possíveis agravamentos de doenças existentes e ainda favorece a disposição e a produtividade.

Que a boa alimentação está entre os principais fatores para manter uma vida saudável, já está claro. Mas será que sabemos realmente o que é uma alimentação de qualidade?

O que define uma boa alimentação?

A alimentação de qualidade é rica em nutrientes e baseada em alimentos e combinações variados. Mas para que seja, de fato, rica em nutrientes e cumpra o papel de aumentar a imunidade, protegendo e prevenindo contra doenças, ela deve se basear em alguns princípios:

  • Combinações entre alimentos de várias cores e grupos alimentares diferentes: cereais, leguminosas, frutas e vegetais;
  • Formas de preparo que preservem os nutrientes e mantenham os ingredientes em sua forma mais saudável;
  • Modo de comer, com atenção plena, mastigando com calma e contribuindo para a saciedade.

Todos esses princípios estão descritos no Guia Alimentar para a População Brasileira, que destaca também a importância de saber escolher bem os alimentos. Para isso, vale saber:

  • alimentos in natura ou minimamente processados são as melhores escolhas
  • temperos naturais, como ervas e especiarias, são os mais indicados
  • alimentos que tenham muita adição de sal e/ou açúcar devem ser evitados

Para compreender ainda melhor os aspectos da boa alimentação, precisamos falar também sobre o outro lado: os erros mais comuns na hora de escolher e preparar alimentos.

As armadilhas da má alimentação

Quantas vezes deixamos os cuidados com a alimentação de lado e fazemos ou estimulamos escolhas erradas, sem nem ao menos perceber? A má alimentação não está apenas naquilo que decidimos comer, mas em detalhes que podem parecer inofensivos, como nos exemplos a seguir.

  • Hipersabor: Alimentos que parecem muito saborosos em razão da adição de açúcares, sal ou gorduras acabam “viciando” nosso paladar e, por vezes, causam até dependência ou compulsão.
  • Comer sem atenção: O ato de comer sem dar atenção ao alimento nos faz comer de forma exagerada.
  • Tamanhos gigantes: Podem nos levar a consumir uma quantidade além da desejada, principalmente quando se trata de produtos embalados.
  • Calorias líquidas: Em geral, produtos prontos para beber recebem muita adição de açúcar e são prejudiciais, pois não geram saciedade e têm poucos nutrientes.

Estes pontos podem ficar no caminho de uma alimentação mais saudável e um organismo mais fortalecido contra infecções e outras doenças. É por isso que este tipo de informação precisa ser transmitida às equipes, para que cada indivíduo possa fazer escolhas mais conscientes não apenas nas refeições que faz dentro da empresa, mas também nas que prepara em casa e oferece à família.

A má alimentação, baseada em escolhas nutricionais menos saudáveis e nas armadilhas pontuadas acima, afeta o organismo de diferentes formas. Confira alguns exemplos:

  1. O consumo exagerado de açúcares e carboidratos refinados (pães, massas e bolos) pode levar o organismo a se tornar resistente à insulina, provocando diabetes.
  2. A ingestão exagerada de carboidratos refinados e gorduras pode levar ao aumento de gordura no fígado (esteatose hepática), o que altera as células imunes.
  3. Dietas ricas em gorduras são capazes de alterar os macrófagos (grandes responsáveis pela remoção de bactérias no sangue), o que pode aumentar os riscos de infecções bacterianas.
  4. Dietas pobres em vitaminas e sais minerais (que estão presentes nos alimentos in natura e minimamente processados) têm impacto direto na saúde intestinal e, assim, diminuem a proteção do nosso organismo, ou seja, nossa imunidade. 

Depois de abordar os aspectos da boa e da má alimentação, parece fácil organizar cardápios para perseguir uma vida mais saudável, não é? Porém, mesmo entendendo a teoria, muita gente erra na hora de escolher e preparar os alimentos, fazendo com que o organismo pague a conta disso e desenvolva inflamações, infecções e outras doenças que poderiam ser evitadas.

É por isso que, na hora de procurar o melhor caminho para conquistar um organismo mais forte e saudável através da alimentação, a melhor alternativa é contar com ajuda profissional.

O importante papel do nutricionista

É comum associar o acompanhamento com um nutricionista com o desejo de perder peso. Esta ideia, porém, está equivocada! O nutricionista, por entender a necessidade energética e nutricional do organismo das pessoas, pode ajudar a se alimentar melhor e a adoecer menos.

Confira alguns dos principais benefícios do acompanhamento com um nutricionista: 

  • Melhora da sua relação com a comida/alimentação
  • Avaliação da melhor forma de se alimentar, considerando estado nutricional atual e doenças preexistentes
  • Verificação da necessidade de suplementar nutrientes
  • Orientação sobre os riscos do ganho de peso e benefícios da manutenção do peso saudável
  • Orientação sobre boas práticas de manipulação, higienização, preparo e conservação de alimentos

Viu só como o papel do nutricionista vai muito além da orientação para a perda ou o ganho de peso? O acompanhamento com um profissional da nutrição é extremamente importante para uma vida saudável, com bem-estar e uma imunidade forte — até mesmo para evitar o consumo desnecessário de medicamentos.

Sabendo como a alimentação tem papel essencial no bom funcionamento do organismo, o SESI tem um completo portfólio de serviços voltados para serviços de nutrição para empresas que vão desde consultas com nutricionistas até consultorias de nutrição para refeitórios. Este cuidado com a equipe vale a pena: além de garantir mais disposição e energia, favorece o bem-estar dos trabalhadores e leva informações relevantes para cada vez mais pessoas.

segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021 - 12h12

Deixe um Comentário

1 + 13 =