Você está aqui

“Uma flor de valor Sou a flor. Uma flor? Sim a flor. Mas que flor? De cabelos. De que cor? Pretos como universo versado de amor”, esse é o trecho de “Uma flor de valor”, texto que integra o projeto “Poesias de uma cor: relatos de afrodescendentes vítimas de racismo”, dos alunos da Escola Sesi de Ensino Médio Eraldo Giacobbe, de Pelotas. O trabalho garantiu a participação na 25ª feira internacional Ciência Jovem, que ocorrerá de 6 a 8 de novembro, em Olinda, Pernambuco. A vaga foi definida depois da conquista do terceiro lugar no prêmio geral de Ciências Humanas, da Feira Mineira de Iniciação Científica (Femic), na cidade de Mateus Lemes, em Minas Gerais, realizado em agosto. “Amadurecemos os projetos no que diz respeito às considerações dos avaliadores e do público em geral. Conhecemos culturas de diferentes regiões brasileiras, danças, músicas, gastronomia e paisagens que nunca imaginamos conhecer”, comenta o aluno Rafael Corrêa, um dos idealizadores do trabalho. 

O projeto completo “Poesias de uma cor” consiste na criação de um livro, que será elaborado com base em relatos de pessoas negras vítimas de racismo e preconceito. Segundo a descrição dos autores, “por meio de linguagem literária e artística, a intenção é compartilhar essas vivências, contribuindo para construir uma sociedade mais justa, igualitária e respeitosa”.

Outro trabalho da escola apresentado na feira de Minas foi “Movimento Maker: Criação de uma oficina itinerante e sua aplicação em prol da sociedade”, representado pelo aluno Douglas Bueno. “A parte mais importante de participar de feiras de iniciação científica é poder nos atualizar sobre as pesquisas que estão sendo realizadas em outras instituições de ensino, estabelecer parcerias, trocar sugestões bibliográficas e de materiais”, finaliza a professora de sociologia da Escola Sesi de Ensino Médio Eraldo Giacobbe, Isadora de Leon Torres, que acompanhou os alunos.  

Alunos da Escola Sesi de Pelotas
Publicado sexta-feira, 23 de Agosto de 2019 - 16h16